Cliente Assistida pela banca Bonfim & Advogados Associados é indenizada em R$ 15 mil, por Inscrição indevida SPC/SERASA.

No 04 de Abril de 2017, A 3ª Turma Recursal do Juizado Especial Cível de Curitiba, determinou que uma consumidora deverá ser indenizada em R$ 15.000,00 por danos morais. A vítima Teve seu nome inserido no SPC/SERASA, mesmo após pagar suas futuras em dia, a empresa equivocadamente decidiu inserir seu nome nos órgãos de proteção ao crédito.

Em sentença de 1° grau, perante a 3º Juizado Especial Cível de Curitiba (Telecomunicações), a empresa foi condenada ao pagamento o valor de R$5.000,00 a titulo de indenização por danos morais.

Vejamos um trecho da decisão.
‘'A REPERCUSSÃO NEGATIVA GERADA PELA INSCRIÇÃO INDEVIDA, TENDO EM VISTA QUE TAL FATO ACARRETA EFEITOS PREJUDICIAIS EM DIVERSOS ASPECTOS DA VIDA CIVIL, NÃO SÓ LIMITANDO IMEDIATAMENTE A OBTENÇÃO DE CRÉDITO,MAS ATENTANDO CONTRA O PATRIMÔNIO IDEAL FORMADO PELA IMAGEM IDÔNEA DO CONSUMIDOR. O ARBITRAMENTO DA INDENIZAÇÃO PELO DANO MORAL DEVE SEMPRE TER O CUIDADO DE NÃO PROPORCIONAR, POR UM LADO, O ENRIQUECIMENTO ILÍCITO DO AUTOR EM DETRIMENTO DO RÉU, NEM POR OUTRO, A BANALIZAÇÃO DA VIOLAÇÃO AOS DIREITOS DO CONSUMIDOR,QUANTO MAIS QUANDO QUALQUER RESTRIÇÃO CREDITÍCIA PODE SOMAR PONTOS NEGATIVOS NO SCORING DO CONSUMIDOR, DIFICULTANDO-LHE AINDA MAIS O ACESSO AO CRÉDITO, MATÉRIA ESTA DECIDIDA PELO STJ. O ARBITRAMENTO DA INDENIZAÇÃO PELO DANO MORAL DEVE SEMPRE TER O CUIDADO DE NÃO PORCIONAR, POR UM LADO, O ENRIQUECIMENTO ILÍCITO DO AUTOR EM DETRIMENTO DO RÉU, NEM POR OUTRO, A BANALIZAÇÃO DA VIOLAÇÃO AOS DIREITOS DO CONSUMIDOR, QUANTO MAIS QUANDO QUALQUER RESTRIÇÃO CREDITÍCIA PODE SOMAR PONTOS NEGATIVOS NO SCORING DO CONSUMIDOR, DIFICULTANDO-LHE AINDA MAIS O ACESSO AO CRÉDITO, MATÉRIA ESTA DECIDIDA RECENTEMENTE PELO STJ. DIANTE DISSO, LEVANDO AINDA EM CONTA OS PRINCÍPIOS DA PROPORCIONALIDADE E RAZOABILIDADE, ELEVO O DANO MORAL ARBITRADO PARA R$ 15.000,00. SENTENÇA REFORMADA PARA O FIM DE MAJORAR O VALOR DA INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS DE R$ 5.000,00 (CINCO MIL REAIS) PARA R$ 15.000,00 (QUINZE MIL REAIS). VALOR QUE DEVERÁ SER CORRIGIDO PELO ÍNDICE INPC E JUROS DE MORA DE 1% AO MÊS, NOS TERMOS DO ENUNCIADO 12.13 “A” DAS TR’S/PR. RECURSO CONHECIDO E PROVIDO.''

O julgamento foi presidido pelo (a) Juiz (a) Marco Vinícius Schiebel, com voto, e dele participaram os Juízes Fernando Swain Ganem (relator) e Leo Henrique Furtado Araújo. 04 de Abril de 2017.

Advogado Responsável pelo caso DR. João Carlos de Oliveira, OAB/PR N° 82.086.

Rua Andre de Barros, 226, sala 904 /  Centro / Curitiba / Paraná / Cep: 81.010.080.

Tel.: (41) 3082-8086  /  (41) 3045-3013 

Contato@bonfimeoliveira.com.br

 

© 2016  Todos os direitos reservado. Bonfim & Oliveira Advogados Associados.              

Deus é Fiel!